O Que Fazemos?

Desde o início da criação do Espaço t, o nosso âmbito de ação centrou-se em duas áreas distintas:

- Mudança Individual:

Enquadramento do indivíduo em atividades artístico-culturais e/ou formativas, de modo a estimular as capacidades expressivas e desenvolver o investimento em si próprio;

- Mudança Social:

Promover a mudança social com vista à aceitação da diferença pela sociedade, utilizando para isso a cultura Espaço t.

Tendo em conta estas duas áreas de intervenção, organizamos as nossas atividades em espaços distintos, atentos às dinâmicas de cada um, sendo que há um trabalho de ligação contínuo entre todos.

Cada Casa tem um nome simbólico pois, para nós, tudo é importante para que o resultado final seja a excelência. O simbólico é fundamental quando a arte é um instrumento de trabalho.

Casa da Felicidade

Uma casa de todos para todos onde se pode ser feliz… Porque distribuímos felicidade desde 1994, trabalhando a arte como processo terapêutico, decidimos simbolicamente dar este nome à sede do Espaço t como forma de celebrar a Felicidade. 

 


Desenvolvimento Pessoal e Artístico

O Espaço t, através do Departamento de Desenvolvimento Pessoal e Artístico (DPA) promove, semanalmente, cerca de trinta ateliês orientados por profissionais de cada área.

Estes ateliês são dirigidos a grupos heterogéneos, numa perspetiva de inclusão total. Também dentro deste departamento, o Espaço t possui um Gabinete de Psicologia que promove o apoio inter-ateliês, através da realização semanal de Dinâmicas de Grupo, com o objetivo de promover a reflexão sobre o trabalho desenvolvido nos ateliês e o treino de competências pessoais e sociais.

Os nossos ateliês de desenvolvimento pessoal e artístico têm por objetivo ensinar práticas artísticas e, fundamentalmente, desenvolver competências humanas, como as da relação intra e inter- grupal, acreditando que no final a sua autoestima e o seu autoconceito estarão mais desenvolvidos.

Os ateliês funcionam de segunda a sexta-feira, sendo que o aluno pode frequentar um ou a totalidade dos ateliês, dependendo da sua motivação, interesses e disponibilidade. Vão desde o teatro, a dança, canto, música, pintura, manualidades, olaria e Tai Chi. Dispomos ainda de ateliês de capacitação tais como informática, costura e inglês, para que os alunos possam desenvolver competências numa perspetiva holística.

Disponibilizamos, também, um serviço de acompanhamento social para que se desenvolva um elo de ligação com a comunidade em geral. Este gabinete tem como finalidade cooperar com a comunidade tentando facilitar a mudança de determinadas atitudes e comportamentos, assim como incentivar, apoiar e desenvolver ações de carácter social que visem a melhoria das condições de vida da população em geral.

Os alunos são encaminhados por hospitais, centros de saúde, IPSS, médicos ou outros profissionais de saúde, serviços da Segurança Social e do Instituto de Reinserção Social. Os alunos podem também vir por iniciativa própria, no caso de não terem ligação a nenhuma instituição, ou através de familiares. Para isso basta contactar o Espaço t, através do telefone: 226 081 919 e pedir para falar com o psicólogo Delfino Manica ou enviar e-mail para delfino.manica@espacot.pt

Quanto aos preços, os mesmos são simbólicos. No Espaço t, não deixamos nunca de atender alguém por falta de condições económicas.

Visite-nos. Estamos à sua espera!

Psicologia

Serviço de atendimento individual a adultos que frequentam o Espaço t e outros que dele necessitem. 

Funciona por pré-marcação e o preço é avaliado em função dos rendimentos de cada pessoa. Os seus principais objetivos são aconselhamento e ajuda em situações de fragilidade psicológica, promoção do auto-conhecimento e desenvolvimento pessoal. Se precisar de apoio, contacte-nos através do email 

delfino.manica@espacot.pt.

Emprego

Com o objetivo de apoiar na procura de emprego, possuímos um Departamento de Emprego que apoia os alunos na procura de emprego ou formação profissional, consoante dificuldades específicas de inserção na vida ativa. Nesse sentido pretende desenvolver no aluno, capacidades sociais e psicológicas (ex: melhoria da autoestima) fornecendo informações sobre o mercado de trabalho e/ou possibilidades de continuação dos estudos ou formação profissional. 

Presta ainda apoio a jovens e adultos na resolução dos seus problemas de inserção ou reinserção profissional em cooperação com os Centros de Emprego. 

Destina-se a todos os desempregados sem exceção: jovens à procura do 1º emprego, indivíduos com dificuldades de orientação profissional/vocacional ou ainda a todos os que procuram uma formação profissional. Não é condição obrigatória ser aluno do Espaço t, trata-se de um serviço aberto a toda a população. 

Uma vez conseguida colocação, o Departamento de Emprego do Espaço t não cessa o contacto com a entidade empregadora, com o Centro de Formação, nem com o aluno até que a sua inserção esteja realmente terminada. 

Este serviço ajuda a: 

  • Informar sobre o mercado de trabalho e/ou possibilidade de continuação dos estudos ou formação profissional; 
  • Encaminhamento para ofertas de emprego e/ou empresas; 
  • Ajuda na procura de instituições/empresas para envio de candidaturas espontâneas; 
  • Informar sobre programas e medidas de emprego oficiais;
  • Elaborar o Curriculum Vitae;
  • Responder a anúncios; 
  • Preparar uma entrevista de emprego; 
  • Divulgação e encaminhamento para medidas de apoio ao emprego, qualificação e empreendedorismo;
  • Acompanhamento personalizado de utentes em tratamento da toxicodependência; 
  • Acompanhamento personalizado de utentes com deficiência. 

Se precisar de apoio, contacte-nos através do email isabel.lago@espacot.pt

Igualdade de Género

Desde a nossa fundação, sempre consideramos a igualdade de oportunidades, bem como a igualdade de género, as bases de todos os princípios. Desta forma, e aliado às atividades de base da instituição, trabalhamos sempre estas temáticas, quer internamente, quer através de projetos direcionados à comunidade. Destacamos projetos como: “Diferentes Realidades, Iguais Oportunidades”, no qual trabalhamos com públicos específicos que pudessem contribuir para a mudança de estereótipos; e “Mais Igualdade” no qual percorremos todas as capitais de distrito, junto dos serviços do SEF, associações de imigrantes, Câmaras Municipais, entre outros, com o intuito de sensibilizar a comunidade imigrante sobre a igualdade de género e prevenção da violência de género. 

Por considerarmos ser um tema transversal às nossas atividades, o trabalho nesta área será sempre uma prioridade. 

“Pro-Equal Contra a Violência” 

Através deste projeto o Espaço t pretende sensibilizar as pessoas com deficiência e incapacidade, assim como o público em geral, para as questões da igualdade de género e contra a violência doméstica. Pretende ainda utilizar a Arte como veículo facilitador de passagem de informação, promover apoio jurídico psicológico e apoio na reinserção socioprofissional das vítimas de violência doméstica. 

Para atingir estes objetivos, realizamos várias ações junto do público em geral e junto das pessoas com deficiência e/ou incapacidade em particular. Utilizamos práticas artísticas como ferramentas de formação/ informação/ sensibilização, nomeadamente o teatro, a expressão plástica e a fotografia. 

Este projeto tem como parceiros diretos a Cercigaia, o Centro de Reabilitação Condessa de Lobão e o CIAD – Centro Integrado de Apoio à Deficiência.

Com a duração de dois anos, este projeto é financiado pela CIG – Comissão para a Igualdade de Género, através do PO ISE. 

Para dar mais visibilidade a esta temática, e para sensibilizar o público em geral para a questão da igualdade de género e prevenção de violência domestica nas pessoas com deficiência, desenvolvemos duas exposições  em espaços públicos: uma de fotografia (Exposição 40R - Estação de S. Bento) e uma outra de pintura (Estação de Metro de S. Bento). 

Será lançado uma edição especial da Revista “Con(tacto)” inteiramente dedicada a este tema, acessível a todos/as, sendo impressa a negro, Braille e em formato áudio.

Cultura

Promover a mudança social com vista à aceitação da diferença pela sociedade utilizando, para isso, a cultura Espaço t é um dos vetores da nossa atuação. 

Para isso, criamos o Departamento de Comunicação e Imagem que produz e divulga as atividades culturais da instituição, de forma, a que o trabalho diário desenvolvido seja sedimentado no exterior, estabelecendo-se canais de comunicação com os media, as instituições e a sociedade em geral. A realização de eventos artísticos, culturais e sociais permite refletir sobre aquilo que é a “cultura Espaço t”, sensibilizando a população em geral para problemas sociais e grupos de risco.

CORPO EVENTO – CICLO DE ESPETÁCULOS EM TEATRO E DANÇA

No dia 26 de Junho de 1998 estreou no Ballet-Teatro Auditório a peça “Alcatifa”, com encenação de Joclécio Azevedo e interpretação dos alunos do ateliê de teatro do Espaço t; dava-se início ao Corpo Evento-Ciclo de Espetáculos em Teatro e Dança. 

Desde então, o Espaço t realiza anualmente este ciclo. 

O Corpo Evento é um ciclo de espetáculos em teatro e dança, que pretende dar a conhecer ao público em geral a consolidação dos projetos ao nível da expressão dramática e corporal desenvolvidos pelo Espaço t no conjunto das atividades de desenvolvimento pessoal e artístico. Estes projetos têm como objetivo potenciar capacidades criativas, sociais e comunicacionais em pessoas com dificuldades de inclusão social, desenvolvendo a sua autoestima e autoconceito.

Os resultados são evidentes e aqueles que muitas vezes são considerados incapazes, demonstram, neste ciclo de teatro e dança, que a arte de representar não é apenas atributo dos “ditos normais”, mas sim de todos aqueles que sentem, vivem e comunicam, independentemente das suas particularidades físicas, psíquicas ou sociais.

Neste lugar de experiências vividas, onde a realidade é imaginária, todos sabem quem são, todos gostam de ser quem são.

REVISTA ESPAÇO CON(TACTO)

A Revista Espaço Con(Tacto) foi editada pela primeira vez em março de 1998, época em que as atividades desenvolvidas nos ateliês do Espaço t começavam a revelar resultados bastante positivos, quer ao nível da criatividade, quer pela motivação conquistada pelos nossos alunos, o que contribuía sobejamente para o desenvolvimento positivo da sua auto-estima e para uma consequente valorização pessoal.

Faltava, no entanto, um projeto que retirasse estas pessoas e o seu trabalho do anonimato das salas e dos arquivos do Espaço t, algo sustentado que permitisse expor perante a comunidade as capacidades e a afirmação de grupos tradicionalmente ignorados – considerados inábeis e até mesmo incapazes – sendo-lhes retirado o direito a uma participação livre na vida da comunidade à qual pertencem.

Surgiu então a ideia de uma publicação que refletisse na comunidade um pouco daquilo que é e o que pretende o Espaço t: os objetivos, as expectativas e os resultados conseguidos – o reconhecimento sem distinção das capacidades dos nossos alunos, a afirmação da criatividade como linguagem privilegiada de comunicação e de reabilitação. No dia 18 de março de 1998, foi editado o primeiro número da Revista Espaço Con(tacto), desde então foram publicadas mais de duas dezenas e distribuídas em todo o território nacional.

Os conteúdos da Espaço Con(Tacto) respeitam sempre a temáticas que estimulem a curiosidade, a reflexão e a sensibilidade de quem a concebe e dos seus leitores. O tema é posteriormente explorado pelos nossos alunos conjuntamente com os formadores e por personalidades convidadas. Este trabalho conjunto pretende incentivar o relacionamento entre todos aqueles, cujos percursos de vida estão distanciados e que assim podem partilhar um objetivo comum, utilizando a arte como linguagem unificadora.

QUASE GALERIA

Uma galeria de arte contemporânea com um fim bem definido: apresentar arte contemporânea portuguesa nesse espaço, dentro de outro espaço, onde cada exposição será uma fusão de espaços podendo mesmo emergir num só espaço. Com este conceito, pretendemos criar uma nova visão do Espaço t, como local onde outros públicos podem mostrar a sua arte, desta vez não terapêutica, mas sim uma arte no sentido mais real do termo que, forçosamente, será também terapêutico, pois tudo o que produz bem-estar ao indivíduo que o cria é terapêutico.

Com o apoio de várias galerias, e com a nossa comissária - Fátima Lambert - temos o projeto construído para que ele possa nascer de um espaço e valorizar novos conceitos estéticos, contribuindo para a interação de novos públicos com os públicos já existentes promovendo, assim, e mais uma vez a verdadeira inclusão social, sem lamechices, mas com sentimento, estética e cruzamentos sensoriais humanos entre todos.

Queremos que com esta Quase Galeria, o Espaço t abra ainda mais as portas para a cidade como ponto de partida para criar sinergias de conceitos, opiniões e interações entre humanos, com o objetivo com que todos sonhamos – A Felicidade.

CONGRESSOS

O Espaço t realiza congressos nacionais e internacionais com o objetivo de discutir temáticas pouco debatidas nomeadamente sobre a importância dos afetos e outros assuntos prementes no desenvolvimento do Ser Humano.

É também uma oportunidade para pensar nestes assuntos numa perspetiva terapêutica e difundir a forma de expressão e cultura do Espaço t.

Arte Pública

O Espaço t convida periodicamente artistas residentes em Portugal e no estrangeiro a intervir com os seus trabalhos em conjunto com trabalhos desenvolvidos pelos alunos do Espaço t em locais públicos (ruas, estações de caminhos de ferro, estações de metro, etc.), demonstrando que a arte pode ser um instrumento preponderante na revitalização e humanização de lugares de utilização pública, contribuindo para uma maior sociabilização e satisfação de todos.

Objetivos: 

  • Descentralizar a criação artística contemporânea, levando esta iniciativa cultural a locais habitualmente conotados com outras atividades, possibilitando deste modo a criação de sinergias entre áreas consideradas como polos de interesse distintos;
  • Angariar novos públicos;
  • Demonstrar e divulgar a expressão artística como um instrumento privilegiado de intervenção social. 


Edições

Com o objetivo de materializar as atividades da Associação, respetiva difusão e para o registo de uma memória, o Espaço t tem vindo a produzir algumas publicações, que refletem projetos, práticas e momentos da nossa existência. Paralelamente, algumas destas edições, foram produzidas a convite de entidades externas.

PASSOS

Porto, junho de 2000

Valentina Mottura

A LINGUAGEM DA LUZ

Porto, março de 2001

Valentina Mottura e Nuno Ferreira

 

OLHAR OS OUTROS – CATÁLOGO DA EXPOSIÇÃO

Porto, setembro de 2002

DI-VISÕES – CATÁLOGO DA EXPOSIÇÃO

Porto, outubro de 2003

 

OS DITOS NORMAIS 

Porto, março de 2005

Jorge Oliveira

Editora Minerva

HOMEM T - UM PROJETO DE FELICIDADE

Porto, 2009

 

15 ANOS A TRANSFORMAR HOMENS EM PRÍNCIPES

Porto, 2009

 

ROTEIRO CIDADANIA EM PORTUGAL

Porto, 2017

Casa do Mundo

Situada no 2º Andar da Escola Básica da Sé, a Casa do Mundo é um espaço de convergência de culturas, aprendizagem e diversidade.

Neste espaço funciona o projeto “O Meu País no Teu”, o CCI – Conselho Consultivo Para a Interculturalidade e o CESFOR – Centro de Empreendedorismo Social e de Formação.

Aqui, pretendemos que se trabalhem competências no domínio da aprendizagem, junto de jovens em situação de vulnerabilidade social ou outras.

Paralelamente, e num processo de interação dinâmico, promovemos dinâmicas com o objetivo de aproximar culturas e facilitar a inclusão de imigrantes na nossa sociedade.

Formação

O Departamento de Formação do Espaço t / CESFOR - Centro de Empreendedorismo Social e de Formação, assume como missão específica apoiar a (re) integração na vida ativa e profissional de grupos desfavorecidos através da conceção, promoção e execução de projetos formativos. 

Paralelamente a estas atividades, este departamento promove ações de formação contínua (seminários, workshops, ações de sensibilização) nas áreas da interculturalidade, saúde, ação social, entre outras. 

Na atualidade, e enquanto entidade externa do IEFP, desenvolvemos cursos de Ensino Aprendizagem com dupla certificação. Estes cursos têm a particularidade de certificar o aluno/a com um curso profissional, nomeadamente Técnico Comercial e Técnico de Apoio à Família e de Apoio à Comunidade. A par desta certificação, os/as alunos/as obtêm o 12º ano.

O Departamento de Formação é certificado pela DGERT - Direção Geral do Emprego e das Relações de Trabalho.

Se estiver interessado em saber mais, contacte a coordenadora Isabel Lago através do email isabel.lago@espacot.pt

Interculturalidade

Em 2015 o Espaço t achou que era possível fazer mais e melhor na área da interculturalidade e por isso criou o CCI - Conselho Consultivo para a Interculturalidade, para dinamizar iniciativas e potencializar o trabalho de pessoas e de associações de imigrantes.

Dentro do CCI são realizados vários encontros temáticos, desenvolvidas iniciativas comuns e integração de grupos de estudo e discussão nas áreas da saúde, qualidade de vida, cultura, imigração, etc. Este Conselho reúne-se periodicamente com o objetivo de concertar estratégias e partilhar informação.

O Espaço t disponibiliza, ainda, alguns espaços a algumas destas associações na Escola EB1 do Sol, para a realização de várias atividades, nomeadamente: aulas de árabe, aulas de música e percussão africana, dança africana, aulas de russo, aulas de dança tradicional brasileira, aulas de português para estrangeiros, apoio ao estudo, ensaios de canto e teatro, entre outras atividades, tais como reuniões dos órgãos das diferentes associações, gabinete de apoio jurídico e consular.

Toda esta dinâmica de partilha de recursos e criação de espaços comuns, é o começo da nossa Casa do Mundo.

Se estiver interessado em saber mais, contacte-nos através do email leonel.morais@espacot.pt

O Meu País no Teu

O Espaço t  desenvolve, desde 2014, na Escola EB1 do Sol - Porto, o projeto “O Meu País no Teu”.

Este projeto tem vindo a divulgar uma programação disseminadora de arte contemporânea intercultural, apresentando trabalhos de artistas, grupos ou coletividades das mais diversas bases (backgrounds) culturais, possibilitando ainda a participação e o envolvimento do público em workshops artísticos, palestras, conferências, exposições, etc, realizados periodicamente, dedicados às diferentes expressões artísticas e culturais dos diferentes países presentes nos eventos e exposições.

Este projeto compreende a realização de iniciativas e eventos que visem a promoção da interculturalidade, usando a arte, linguagem universal, como instrumento de inclusão.

O Espaço Intercultural “O Meu País no Teu”, é um espaço multicultural de divulgação e promoção da interação cultural, da tolerância, respeito mútuo e enriquecimento individual através das interações e diálogo intercultural.

São realizadas na Galeria Espaço t(eu), exposições de arte bimensais com trabalhos artísticos realizados por imigrantes.

Os workshops, conversas e conferências são teórico-práticos, onde especialistas convidados abordam temas como a diversidade cultural, direitos culturais, a arte como processo de integração, a influência portuguesa na arte mundial, a aculturação, a tradução, a saúde, a formação, o emprego, etc. São ainda realizadas conversas com os artistas que expõe na Galeria.

Ainda no âmbito deste projeto, são realizados anualmente a Festa da Interculturalidade e os Dias da Interculturalidade, que têm como objetivo levar a interculturalidade para a rua, mostrando assim a diversidade e contribuindo para a aceitação da diferença.

Se estiver interessado em saber mais, contacte-nos através do coordenador do projeto Leonel Morais pelo email: leonel.morais@espacot.pt

GALERIA O MEU PAÍS NO TEU

A Galeria do projeto “O Meu País no Teu” é um espaço de convergência de diferentes formas de arte, de diferentes origens, culturas e nacionalidades. Este é um laboratório de experimentação artística, tendente à criação de novos conceitos de arte, nomeadamente da arte como forma de comunicação transversal entre diferentes públicos e respetiva integração, numa sociedade cada vez mais segregada e segregadora. Uma oportunidade para os imigrantes exporem, mas também para toda a comunidade interessada poder ter contacto e conhecer diferentes tipos de arte e cultura.

GALERIA INKLUSA

Este espaço é uma plataforma física e virtual de arte feita por pessoas com deficiência e com várias problemáticas biopsicossociais.

É um projeto artístico financiado pelo Prémio BPI Capacitar, onde a arte exposta é feita por pessoas com deficiência e com potencial artístico.

Este projeto é catalisador pela capacidade que tem de agregar, difundir, estimular e incentivar a criação artística deste grupo alvo, tornando-o mais mediático, abrangente, incluso e gerador de receitas para as pessoas com deficiência e/ou instituições de solidariedade social.

Casa do Pinheiro Grande

A Casa do Pinheiro Grande situa-se no Bairro do Cerco, um bairro social da cidade do Porto.

Foi neste bairro que o Espaço t decidiu, em 2012, implementar um novo projeto dirigido a um público mais jovem, com o objetivo de promover dinâmicas positivas para a promoção de estilos de vida saudáveis e um exercício de cidadania pleno.

Através do Programa Escolhas, entidade financiadora do projeto, criamos o Cercar-te E6G.

Um trabalho feito dentro e fora da casa, sempre cheio de crianças felizes.

Mais informações através do email: nuno.ferreira@espacot.pt 

Cercar-te E6G

Promovido pelo Espaço t, o Projecto Cercar-te E6G atua no Bairro do Cerco, no Porto e pretende potenciar a inclusão social de crianças, jovens e famílias em situação de vulnerabilidade, dotando o bairro de respostas integradas que combatam o abandono, absentismo e insucesso escolar, promovam a aquisição de competências, apoiem a empregabilidade e a inserção profissional, e fomentem a literacia digital. 

O Projeto “Cercar-te” visa as cinco medidas do programa. Nesse âmbito foram criados cinco centros, de forma a responder às necessidades identificadas: 

  • Centro de Informação e Encaminhamento para Respostas Educativas 
  • Centro de Encaminhamento Profissional Juvenil 
  • Centro Artístico Local 
  • Centro de Inclusão Digital 
  • Centro de Empreendedorismo Juvenil 

O consórcio deste projeto é constituído pelo Agrupamento de Escolas do Cerco, Comissão de Proteção de Crianças e Jovens – Porto Oriental, Direção Regional Norte do Instituto Português do Desporto e da Juventude, Espaço t – Associação para o Apoio à Integração Social e Comunitária, Fundação da Juventude, Fundação de Serralves, Junta de Freguesia de Campanhã e Fundação Manuel António da Mota.

Mais informações através do email: nuno.ferreira@espacot.pt

Escola de Rugby Cercar-te

A Escola de Rugby Cercar-te tem como objetivo principal permitir a crianças e jovens a aprendizagem e a prática do jogo de rugby, um jogo de contacto físico coletivo, que apresenta características que o diferenciam da maioria das outras modalidades. O rugby, pelas suas características, código de ética e valores, permite o desenvolvimento de um conjunto de atividades pedagógicas notáveis, principalmente na área de interação social e educação cívica, dando oportunidade a qualquer criança, independentemente da estrutura física e das capacidades de cada um. Pretendemos assim: proporcionar a prática regular do rugby junto das crianças e jovens participantes no projeto, fomentar e proporcionar junto das camadas mais jovens (entre os 6 e os 14 anos) o contacto com o jogo de rugby; contribuir para a formação, educação e integração social de crianças e jovens através do desporto.

A Nossa Casa na Trofa

Em funcionamento desde Março de 2001, e a convite da Câmara Municipal da Trofa, o Espaço t criou a sua primeira filial denominada “A Nossa Casa na Trofa".

Com os mesmos princípios de atuação e atividades da Casa da Felicidade – Sede do Espaço t, criamos a segunda Comunidade de Inserção da nossa organização, redimensionada à realidade e dimensão do concelho da Trofa.

Decorridos estes anos de trabalho, foi já desenvolvido um vasto conjunto de iniciativas e eventos dirigidos quer para grupos específicos, quer para a população em geral.

Mais informações através do email:

domingos.mendes@espacot.pt


Desenvolvimento Pessoal e Artístico

O Espaço t, através do Departamento de Desenvolvimento Pessoal e Artístico (DPA) da Trofa promove semanalmente cerca de uma dezena de ateliês, orientados por profissionais de cada área.

Estes ateliês são dirigidos a grupos heterogéneos numa perspetiva de inclusão total. Também dentro deste departamento, o Espaço t possui um Gabinete de Psicologia que promove o apoio inter-ateliês, através da realização semanal de Dinâmicas de Grupo, com o objetivo de promover a reflexão sobre o trabalho desenvolvido nos ateliês e o treino de competências pessoais e sociais.

Os nossos ateliês de desenvolvimento pessoal e artístico têm por objetivo ensinar práticas artísticas e fundamentalmente desenvolver competências humanas, como as da relação intra e inter-grupal, acreditando que no final a sua autoestima e o seu autoconceito estarão mais desenvolvidos.

Os ateliês funcionam de segunda a sexta-feira, sendo que o aluno pode frequentar um ou a totalidade dos ateliês, dependendo da sua motivação, interesses e disponibilidade. Os ateliês desenvolvidos no Espaço t são espaços abertos ao autoconhecimento e à expressão pessoal, criados para permitir a escuta, o diálogo, o relaxamento, bem como a prática de oficinas de criação tendo como fim a terapia.

Os ateliês funcionam de segunda a sexta-feira, sendo que o aluno pode frequentar um ou a totalidade dos ateliês, dependendo da sua motivação, interesses e disponibilidade. Os ateliês artísticos vão desde o teatro, a dança, música, pintura, manualidades. Dispomos ainda de um ateliê de informática, para que os alunos possam desenvolver competências numa perspetiva holística.

Todos os ateliês têm também como objetivo a criação de um produto artístico, que é apresentado à sociedade em geral através de eventos públicos.

Conhecer melhor o potencial de cada pessoa, expressar livremente esse potencial pela arte, pelo gesto ou pela palavra, experimentar novas formas de expressão, permitir-se momentos de descontração, melhor o autoconhecimento e a autoestima são os objetivos dos ateliês desenvolvidos pelo Espaço t.

Seguindo a filosofia de fazer chegar a todos a arte como forma de expressão e despertar na população o interesse por atividades de carácter sociocultural e de hábitos de vida saudáveis, o Espaço t poderá desenvolver estas atividades com outras instituições que as solicitem, após protocolo a criar entre ambas.

Por último, disponibiliza um serviço de acompanhamento social para que se desenvolva um elo de ligação com a comunidade em geral. Este gabinete tem como finalidade cooperar com a comunidade tentando facilitar a mudança de determinadas atitudes e comportamentos, assim como incentivar, apoiar e desenvolver ações de carácter social que visem a melhoria das condições de vida da população em geral.

Os alunos são encaminhados por hospitais, centros de saúde, IPSS, médicos ou outros profissionais de saúde, serviços da Segurança Social e do Instituto de Reinserção Social. Os alunos podem também vir por iniciativa própria, no caso de não terem ligação a nenhuma instituição, ou através de familiares. Para isso basta contactar o Espaço t, através do telefone: 252 416 336 e pedir para falar com o Coordenador da Nossa Casa na Trofa, Domingos Mendes, ou enviar e-mail para domingos.mendes@espacot.pt

Quanto aos preços, os mesmos são simbólicos. No Espaço t não deixamos de atender ninguém por falta de condições económicas. 

Visite-nos. Estamos à sua espera!

Psicologia

Serviço de atendimento individual a adultos que frequentam o Espaço t e outros que dele necessitem. Funciona por pré-marcação e o preço é avaliado em função dos rendimentos de cada pessoa. Os seus principais objetivos são aconselhamento e ajuda em situações de fragilidade psicológica, promoção do auto-conhecimento e desenvolvimento pessoal.

Se precisar de apoio, contacte-nos através do email delfino.manica@espacot.pt.

Emprego

O G.I.P. Espaço t – Gabinete de Inserção Profissional, apoia os utentes na procura de emprego ou formação profissional, consoante dificuldades específicas de inserção na vida ativa. Nesse sentido pretende desenvolver no utente, capacidades sociais e psicológicas (ex: melhoria da autoestima) fornecendo informações sobre o mercado de trabalho e/ou possibilidades de continuação dos estudos ou formação profissional.

O G.I.P. é um serviço devidamente acreditado pelo IEFP cujo objetivo é prestar apoio a jovens e adultos, na resolução dos seus problemas de inserção ou reinserção profissional, em cooperação com os Centros de Emprego.

Destina-se a todos os desempregados sem exceção: jovens à procura do 1º emprego, indivíduos com dificuldades de orientação profissional / vocacional, ou ainda a todos os que procuram uma formação profissional. Não é condição obrigatória ser utente do Espaço t, trata-se de um serviço público aberto a toda a população.

Uma vez conseguida colocação, o Espaço t Emprego não cessa o contacto com a entidade empregadora, com o Centro de Formação, nem com o utente, até que a sua inserção esteja realmente terminada. 

O G.I.P. pode ajudar a: 

Informar sobre o mercado de trabalho e / ou possibilidade de continuação dos estudos ou formação profissional; 

Encaminhamento para ofertas de emprego e/ou empresas; 

Ajuda na procura de instituições/empresas para envio de candidaturas espontâneas; 

Informar sobre programas e medidas de emprego oficiais (articulando sessões informativas com os respetivos técnicos dos Centros de Emprego ou realizando-as o G.I.P. nas suas próprias instalações);

Elaborar cartas de candidatura;

Elaborar o Curriculum Vitae;

Responder a anúncios;

Preparar uma entrevista de emprego; 

Divulgação e encaminhamento para medidas de apoio ao emprego, qualificação e empreendedorismo;

Acompanhamento de utentes beneficiários do Rendimento Social de Inserção; 

Acompanhamento personalizado de utentes em tratamento da toxicodependência; 

Acompanhamento personalizado de utentes com deficiência.

Formação

A área da Formação do Espaço t - Trofa, assume como missão específica apoiar a (re) integração na vida ativa e profissional de grupos desfavorecidos através da conceção, promoção e execução de projetos formativos. Ao direcionar as suas atividades educativas e formativas a grupos carenciados, dotando-os de competências pessoais e profissionais, o Espaço t atua com um objetivo: o combate à exclusão social pela inclusão profissional.

Paralelamente a estas atividades, promove ações de formação contínua (seminários, workshops, ações de sensibilização) nas áreas da saúde, ação social, entre outras.

Promove, também, cursos ensino aprendizagem formação modulares, cursos EFA, promovidos pelo Espaço t e/ou pelo IEFP.

Fora de Casa

Desde a criação do Espaço t que nos preocupamos em levar a nossa missão para outros lugares onde existem pessoas.

Para nós as casas são importantes, pois transmitem afeto, carinho, aconchego…..Felicidade!

Mas mais importante que as casas são as Pessoas que as habitam.

Por isso, desde sempre tivemos a preocupação de trabalhar também fora das casas, levando iniciativas, projetos e momentos de felicidade, junto de outras comunidades, pessoas sem casa, bairros sociais e outras cidades. Porque o importante é chegar a todos/as, para que a inclusão seja uma realidade.

Palcos para Inclusão

O Espaço t, com o projeto “Palcos Para a Inclusão”, apresenta entre 2017 e 2020 o trabalho artístico desenvolvido pelos seus alunos a crianças, jovens e adultos em diversas situações de vulnerabilidade social dos concelhos do Porto, Trofa e Maia, residentes em bairros sociais ou habitações sociais. Este trabalho é feito através do envolvimento em manifestações culturais e artísticas que pretendem reforçar a coesão social, o diálogo entre diferentes e estimular o desenvolvimento pessoal e interpessoal, promovendo assim a mudança social.

São apresentadas atividades que resultam do trabalho realizado nos ateliês artísticos de teatro, dança, canto, música, fotografia, pintura e Tai Chi, em instituições (escolas, associações, IPSS, coletividades dos bairros sociais) das cidades do Porto, Trofa e Maia. Serão realizadas cinco atividades em cada bairro/território, num total de 300 apresentações, envolvendo cerca de uma centena de instituições parceiras, durante 3 anos. Na cidade do Porto acontecerão 200 ações/apresentações em 40 bairros/territórios (uma média de cinco atividades por bairro social) e as restantes 100 serão apresentadas nas cidades da Trofa e Maia. São apresentadas manifestações artísticas realizadas por alunos do Espaço t tendo como objetivo desenvolver competências artísticas, pessoais e sociais em crianças, jovens e adultos com dificuldades de inserção social, melhorando a sua autoestima e o seu autoconceito. Pretende-se contribuir para o combate da descriminação e valorização dos potenciais criativos de cada criança, jovem e adulto, independentemente dos seus handicaps físicos ou psicossociais.

O projeto contempla, ainda, três festivais de teatro e dança, uma edição especial da Revista Espaço Con(tacto) editada em negro, Braille e áudio, dedicada ao projeto e à inclusão social através da arte, e o lançamento de um livro que se irá debruçar sobre os resultados alcançados e o retorno social obtido. O projeto “Palcos Para a Inclusão”, tem como investidores sociais a Domus Social, empresa municipal da Câmara do Porto e a Fundação Belmiro de Azevedo, sendo o restante financiamento assegurado pelo Programa Operacional Inclusão Social e Emprego, no âmbito do instrumento de financiamento gerido pela Portugal Inovação Social. O projeto “Palcos Para a Inclusão” conta ainda com o apoio estratégico e de consultadoria da Fundação Aga Khan.

Brigadas do Espaço t

As Brigadas Espaço t têm por objetivo levar as atividades de desenvolvimento pessoal e artístico junto de instituições que não podem ou não têm disponibilidade para frequentá-las nas nossas instalações.

Seguindo a filosofia de fazer chegar a todos a arte como forma de expressão e como instrumento de trabalho, o Espaço t tem vindo a desenvolver várias atividades numa série de instituições parceiras tais como: 

  • Centro de Reabilitação Condensa de Lobão 
  • CIAD – Centro Integrado de Apoio à Deficiência 
  • APPACDM – Trofa 
  • Cercigaia
  • Escolas Básicas dos Concelhos do Porto, Maia e Trofa

Se desejar acolher uma das nossas atividades, contacte o nosso Departamento Brigadas Espaço t para mais informações, através do e-mail delfino.manica@espacot.pt

Projetos

Projeto COCADE

O Espaço t é parceiro do projeto COCADE, no âmbito do Programa Erasmus +, Ação-chave 2 – cooperação, inovação e troca de práticas - parcerias estratégicas de educação e formação. O Espaço t é um dos 17 parceiros deste projeto, oriundos de seis países da União Europeia (França, Portugal, Dinamarca, Bulgária, Itália e Bélgica). A dimensão da inclusão social é parte integrante do conteúdo educacional e dos princípios de seleção dos participantes para formação e aprendizagem oferecidos pelo COCADE. O projeto abrange questões nacionais prioritárias nas áreas da formação e emprego, mobilizando a perícia de cada organização parceira. O desenvolvimento de habilidades sociais é desenvolvido através da dinamização de sessões de formação, o uso de ferramentas digitais e redes sociais dos participantes na formação e aprendizagem.